Principal » Blog » Contos Eróticos » Rodrigo Cateuck » Em que posso ajudá-lo?

Em que posso ajudá-lo?

Em que posso ajudá-lo
Quinta-feira passada precisei visitar um cliente para renovarmos nossa parceria. Confesso que não gosto muito de reuniões, mas são necessárias. Marcamos por volta das 17 h e fui só. Ele me esperaria e comentou que seria tudo muito breve, justamente por se tratar de uma renovação.

Ao chegar a sua empresa, fui recepcionado por uma balconista nova, que substituiu a senhora que já trabalhava há anos naquele lugar. Seu nome era Adna e parecia ter nascido para recepcionar pessoas, não só pela beleza, mas, principalmente, por sua simpatia. Tinha também um olhar muito forte e percebi isso ao entrar na empresa. Olhou-me dos pés a cabeça, e fixou por segundos seu olhar para minha cintura. Como ela estava atrás de um balcão, me atentei não só para seu rosto como para seu generoso decote.

Seios gostosos e perfeitos, médios, novos e em perfeitas condições. Convidativos, excitantes. Iniciamos nossa conversa sob efeitos das trocas de admirações iniciais. Enquanto aguardava meu horário, Adna ajeitava seus seios fazendo questão que olhasse cada vez mais para aquelas delícias. Com o tempo a conversa foi ganhando sorrisos de ambos os lados e em curtíssimos segundos o tom de malícia também chegou. No ápice do papo, fui chamado para a reunião. Enquanto meu cliente falava, eu tentava disfarçar meu pau duro que só pensava no decote daquela encantadora e safada moça. Sabia o que ela queria, ela percebeu o que eu queria. A reunião parecia não ter fim e minha ansiedade só aumentava, quando, para minha sorte, meu amigo me solicitou que o aguardasse na recepção enquanto finalizava alguns e-mails, pois não gostava de fechar a empresa sozinho com medo de ser assaltado. Confesso que foi um presente.

Ao sair da sala, minha rola já me entregou, mas o olhar dela também a revelou muito interessada. Expliquei que teria de esperar pelo chefe e ela abriu seu sorriso com toda a safadeza possível. Também pediu que me ajudasse a fechar uma das gavetas do balcão que havia emperrado. Aproximei-me e pude sentir seu cheiro. Ela, intencionalmente, encostou em meu caralho, provavelmente para conferir se estava realmente duro.

Meu olhar automaticamente identificou o que desejava naquele momento. Ela imediatamente abocanhou meu pau, ainda de calça, por fora, alisando-o e apertando-o fazendo com que ficasse como uma pedra de tão duro.

Por minha vez, apertava seus maravilhosos seios. Duros, gostosos, perfeitos. Em questão de segundos não resisti e baixei o zíper. Ela praticamente sacou meu cacete pra fora com a língua. Era evidente que tinha experiência. De uma só vez tentou colocá-lo totalmente na boca. Estava afoita, queria muito aquilo. Deu algumas chupadas com bastante força e começou a lambê-lo por inteiro. Passeava com sua língua lambuzando-o todo, e logo começou a chupar minhas bolas enquanto empunhetava meu pau com talento único. Logo se ergueu um pouco mais e o colocou entre seus seios. Uma espanhola de deixar qualquer macho maluco. Travou a cabeça do meu mastro em sua boca a empurrava meu canudo entre seus seios. Aquilo foi enlouquecedor, me fez esquecer totalmente onde estava. Sua boca babava muito em meu cacete e pirava ao observar aqueles seios com biquinhos claros, loucos para serem chupados.

Ela parou de chupar em me fez entender apenas com os lábios que queria que eu gozasse como nunca antes. Fui obrigado a atender seu pedido, pois a boca dela era deliciosa e me provocou demais. Em silêncio, ela podia perceber que a hora estava chegando e colocou meu pau em sua garganta, com a boca escancarada. Gozei, gozei muito, direto na garganta dela. Ela delirou, seus olhos chegavam a assustar de tanto que saíam do normal. Só consegui tirar meu pau ainda inchado da boca dela e observar sua boca toda babada, sem uma gota de minha porra.

Ela, elegantemente, pegou um lenço, se aprontou como se nada tivesse acontecido e prometeu: me liga que tem muito mais!

Talvez você goste disso:

Rodrigo Cateuck

12/10/2014

Cateuck

Cateuck

Heterossexual fascinado pela beleza de mulheres de todos os tipos, cores, raças, religiões ou credos. Um cara extremamente preocupado com o prazer mútuo, dedicado sempre a fazer gozar e desfrutar dos melhores momentos juntos. Inconsequente quando sob o efeito do tesão. Este sou eu. Posso ser carinhoso sem deixar de utilizar força. Posso dizer em teus ouvidos as mais vulgares das palavras com a sutileza de quem mais deseja excitar. Cabe romance, cabe ousadia, cabe sacanagem. A experiência ajuda bastante a escrever sobre encontros sexuais, mas a criatividade sempre vai além. E isso foi o que mais me motivou a contar algumas de minhas histórias e descrever alguns de meus sonhos. A linguagem que resolvi utilizar foi a mais simples e real possível, não poderia ser diferente. Espero que meus amigos leitores divirtam-se com esses relatos assim como sempre acontece comigo. E confesso: Não precisariam estar escritos para serem inesquecíveis. Os fiz justamente para que pudesse compartilhar meu mundo de tesão, carinhos e as mais gostosas loucuras envolvendo boca, pele, ares e lugares.

Deixe a sua opinião!

Ashley Madison - Have an affair. Married Dating, Affairs, Married Women, Extramarital Affair